Home
11 3857-0355
vendas1@camtec.com.br

Princípio e características técnicas para termoresistências PT-100

 

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO E CARACTERÍSTICAS GERAIS

Os termômetros de resistência são sensores de temperatura que operam baseados no princípio da variação da resistência elétrica de um metal, em função da temperatura, sendo fabricados com fios de alta pureza de platina, níquel ou de cobre.

Suas principais características são a alta estabilidade mecânica e térmica, resistência à contaminação, relação de Resistência x Temperatura praticamente linear, o desvio com o uso e envelhecimento desprezíveis, além do alto sinal elétrico de saída. O sensor de resistência de platina é o modelo de laboratório e o padrão mundial para medidas de temperatura na faixa de -270ºC a 962ºC. Para a utilização industrial é um sensor de inigualável precisão, estabilidade e sensibilidade.

CARACTERÍSTICAS
A termoresistência de platina é a mais utilizada na indústria devido a sua grande precisão e estabilidade. Conhecida como PT-100 ou RTD, a termoresistência de platina que apresenta uma resistência ôhmica de 100 ohmn à 0ºC. Sua faixa de trabalho vai de -200 a 650ºC, porém, a ITS-90 padronizou seu uso até aproximadamente 962ºC. Os limites de erro da PT-100 são referentes às normas DIN-IEC-751/85. Um valor típico de alfa p/ R100= 138,50 ohmn é de 3,850. 10 -3 ohmn . ohmn -1 ºC -1.

LIMITE DE ERRO DA TERMORESISTÊNCIA (PT-100)
A seguir apresentamos os limites de erros para as classes A e B, de acordo com a norma IEC-751/85:

TOLERÂNCIA
Temperatura (ºC)
Classe A (+/- ºC)
Classe B (+/- ºC)
-200
0,55
1,3
-100
0,35
0,8
0
0,15
0,3
100
0,35
0,8
200
0,55
1,3
300
0,75
1,8
400
0,95
2,3
500
1,15
2,8
600
1,35
3,3
650
1,45
3,5
Classe A= +/- 0,15 + (0,002.t)ºC
Classe B= +/- 0,30 + (0,005.t)ºC

RESISTÊNCIA DE ISOLAÇÃO A TEMPERATURA AMBIENTE
A resistência entre cada terminal e a bainha deve ser testada com uma voltagem entre 10 a 100VDC, sob temperatura ambiente entre 15ºC e 35ºC e umidade relativa não excedendo 80%. Em todos os casos a resistência de isolação mínima é de 100M ohmn.

MEDIÇÃO DE TEMPERATURA COM LIGAÇÃO À 2, 3 e 4 FIOS
Na medição de temperatura com termoresistência a 2 fios, temos uma distância limitada entre o sensor e o instrumento receptor, dada pela bitola dos condutores. Já a 3 ou 4 fios, esta distância é praticamente ilimitada. Também podem ser utilizados bulbos com graus de precisão superior às classes A e B. Estes sensores são denominados como 1/3DIN, 1/5DIN E 1/10DIN.

Temperatura (ºC)
Classe A (+/- ºC)
Classe B (+/- ºC)
1/3 din (+/- ºC)
1/5 din (+/- ºC)
1/10 din (+/- ºC)
-200
0,55
1,3
0,42
0,40
0,38
-100
0,35
0,8
0,25
0,18
0,12
0
0,15
0,3
0,26
0,13
0,03
100
0,35
0,8
0,44
0,26
0,12
200
0,55
1,3
0,65
0,41
0,22
300
0,75
1,8
0,86
0,56
0,33
400
0,95
2,3
1,09
0,73
0,45
500
1,15
2,8
1,34
0,92
0,58
Resistência a 0ºC: 100 ohmn
Valor do coeficiente ex.: 0,003850ºC-1
Faixa de utilização:
                           Bulbo cerâmico = -200ºC a 600ºC (standart)
                           Bulbo cerâmico = -200ºC a 850ºC (especial)
                           Bulbo de vidro = -200ºC a 600ºC


OBS: Bulbos como PT-1000, ou PT-500, vendas sob consulta.

LIMITE DE ERRO EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA

Voltar